Com isolamento social, é hora do ensino à distância e alunos se adaptam

Computadores, tablets e celulares já foram apontados como vilões da atenção à aula, mas são os principais aliados de algumas escolas particulares no período em que o isolamento social é sugerido para evitar a proliferação do novo coronavírus.


Doença, que já fechou escolas em pelo menos 102 países, interferiu diretamente no primeiro semestre do ano letivo brasileiro, obrigando escolas a se esforçarem para manter o assunto em dia.


Segundo a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), mais de 776,7 milhões de crianças não estão nas salas de aula. Na cidade de São Paulo, Maísa Santos Gomes, que trabalha em casa, pratica isolamento social com as duas lhas em idade escolar desde a última segunda-feira (16).


Leia também: Coronavírus: Metade dos alunos no mundo está sem aula, diz Unesco
A mais velha, Katarina, que está no sexto ano do ensino fundamental, estuda no Colégio Internacional Ítalo Brasileiro e acompanha as aulas pelo computador em horários iguais aos que acompanhava dentro de sala de aula. A mais nova, Olívia, está no Jardim II e teve as atividades habituais da escola reformuladas para o período dentro de casa.


Agora, a professora de Olívia envia mensagens em vídeo com explicação de atividades e manda recados. A rotina diferente foi apresentada à criança com entusiasmo pela escola e pela família, sendo recebida de forma animadora.


“Ela acorda já perguntando se tem atividade na agenda eletrônica, acha o máximo ver o vídeo da professora explicando”, narra Maísa.


Com a matéria em dia e o tempo da escola sendo ocupado com educação dentro de casa, o desafio agora é arrumar tempo para matar as saudades virtuais das colegas de classe.


“Elas sentem falta da presença das amigas nos intervalos porque agora só conversam por vídeo, mas pelo menos o objetivo está sendo cumprido e a matéria dada. Como mãe, estou impressionada”, conta.


A diretora pedagógica do Colégio Cláritas, no qual Olívia estuda, explica que uma das funções das atividades repassadas aos alunos é manter o vínculo entre escola e criança.

Leia mais em:

Cláritas